segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Discussão: Draft Play nos YCSs?


Esse aí da foto é Christian Georges, vencedor do YCS Atlanta que aconteceu nesse último final de semana. Georges entrou no torneio com seus Fire Fists e foi vencendo rodada após rodada com eles, até chegar no Top 16. Só que, estranhamente, o deck que ele usou para vencer o torneio não foi o Fire Fist. Ué, como assim?

Acontece que nesse YCS, a partir do Top 16, os players abandonaram seus decks e passaram a jogar no formato Draft Play. Ou seja, eles ganharam vários Boosters do Battle Pack 2, abriram, montaram decks com as cartas que conseguiram e continuaram o torneio usando esses decks.

Inevitavelmente, algo tão inusual acabou gerando muita polêmica, com muita gente defendendo esse formato adotado pela Konami e muitos se posicionando fortemente contra. Alguns argumentos dos apoiadores são:

- O draft play valoriza o player em detrimento do deck. Antes, todo mundo falava: "tal deck venceu o YCS". Com o draft play, o jogador fica muito mais em evidência.

- A habilidade passa a ser muito mais importante no draft play, já que ela é muito necessária para que o jogador monte um bom deck do zero. Além disso, ninguém conseguirá ganhar um YCS só porque gastou mais dinheiro em cartas caras.

- O draft play deixa as coisas mais divertidas, criativas e inusitadas, tirando os players de suas zonas de conforto. O evento ganha uma outra roupagem e fica mais legal.
________________________________________________________________

Eu particularmente discordo de tudo isso e acho uma ideia de jerico. Em primeiro lugar, que história é essa de gastar tempo e dinheiro num deck para ter que abandoná-lo no meio do evento? O cara vai lá, faz um bom metacall, emprega sua criatividade em techs criativas para do nada ter que deixar tudo para trás e ficar dependendo do que tirar nuns boosters? Isso não me parece certo. Além disso, acho essa ideia de que a habilidade fica em alta bem questionável. Os decks draft são tosquíssimos, sendo uma compilação dos melhores beaters e das Spells e Traps mais apelonas que você encontrar. Praticamente não tem estratégia nenhuma, é só invocar monstros fortes e bater no oponente com eles. Fora que o povo parece ignorar que é preciso muito mais que habilidade para montar um bom draft deck: é preciso também sorte para tirar boas cartas. Enfim, provavelmente muitos irão discordar de mim, mas essa é apenas a minha opinião e eu estou disposto a debatê-la e aprimorá-la. Fica o espaço desse post para que a gente discuta: o draft play é uma boa ideia? A Konami deveria adotá-lo novamente no futuro para eventos principais ou ele deveria ficar restrito a eventos secundários? Não deixem de dar suas opiniões!
Comentários Facebook
28 Comentários

28 comentários:

Anônimo disse...

quem gasta uma fortuna em deck tem que se fuder""""""""""

Anônimo disse...

Concordo em gênero número e grau com você Buba. YCS não e lugar pra esse tipo de coisa, é o torneio mais importante onde os jogadores poderão estar vendo quais decks são os mais fortes e quais deverão ser atingidos pela lista.

alex disse...

e isso ai em outro torneio tudo bem mas no YSC tem limite pra tudo ne

emerongx disse...

Sou a favor de fazer algo do tipo: o cara não precisa abandonar o deck, mas pelo menos X cartas tiradas no booster, devem ser trocadas com cartas do deck.

Exemplo: o deck tem 40 cartas. No minimo, troque 7 cartas. mas o numero de cartas no final, tem que ser as mesmas 40.

Ai sim, torna todos os argumentos validos e fara jus a sua frase: "emprega sua criatividade em techs criativas..."

Anônimo disse...

Grande porcaria da Tia Konami.
Já não gosto de Draft Plays por default - serve, NO MÁXIMO, pra brincar com aquele seu amigo quando vocês compraram vários boosters no mesmo dia - ainda mais no campeonato destacado do card game.
Já brinquei em torneios com decks prontos (como nos YGO! Championship Series de Nintendo DS, lembra?), com Structure Decks, com Starter Decks, e acho divertido pra caramba! Mas YCS é YCS, e se os participantes do TOP 16 são netdeckers, se copiaram os decks do último YCS, fizeram pacto, que se dane. Empregaram tempo, dinheiro, esforço, e chegaram onde chegaram por, entre outros fatores, uma parcela bem decente de mérito deles em função do torneio. A Konami deveria respeitar tanto os jogadores quanto o campeonato já existente. Se quer brincar e testar novidades, que crie novas modalidades, simples assim.

Anônimo disse...

primeiro anônimo = típico noob, deve usar o deck do Jaden

Anônimo disse...

Acho que só eu gostei desse draft.... dá chance a todos ganharemm o campeonato, não só quem tem um deck carão....

Anônimo disse...

PQP pra vcs que sao contra. É uma imbecialidade grande.

Isto é um torneio para decidir o melhor player e não o melhor deck. Nem sempre o melhor player é aquele que tem um melhor deck. E sim, player que é player de YUGIOH joga com qualquer tipo de deck e formato e não com deck modinha como VCS os chorões.
Este torneio valoriza outras qualidades em jogo que só podem ser adquiridas ao usar a metodologia Draft.

Anônimo disse...

Anon17:26 estuprou esses povinhos!!! Boa!!!!!

Anônimo disse...

^

mimimi

Me diz como que um cara vai provar que é o melhor player com um deck que não tem estratégia nenhuma e se resume a baixar o que tiver na mão e sair na porrada? Se o cara está jogando com um deck "modinha", com certeza o deck tem uma estratégia mais elaborada e envolve outras coisas como metacall que o BuBa já falou, ideias pro side, etc.

Se os decks fossem um pouco mais elaborados, eu até poderia te dar razão. Mas dizer que um amontoado de cartas aleatórias que vem melhores ou piores na base da sorte vai determinar quem é o melhor player já é palhaçada.

Anônimo disse...

o ganhador desse YCS nem será lembrado direito por causado do draft e o povo ainda diz que isso valoriza o jogador.

Anônimo disse...

O Anôn das 17:26 só arrotou asneiras numa tentativa infantil de desmerecer a opinião alheia.
Mas na parte das "outras qualidades" através da "metodologia Draft" eu não aguentei mesmo. Te bateria na bunda, de havaiana, cara.

"Se os decks fossem um pouco mais elaborados, eu até poderia te dar razão. Mas dizer que um amontoado de cartas aleatórias que vem melhores ou piores na base da sorte vai determinar quem é o melhor player já é palhaçada."

+ uns 50 pontos. (Y)

Anônimo disse...

Sabem o que eu acho mais ridículo nessa história toda? O povo falando que a etapa draft serve pra que o torneio seja decidido na base do skill e não do dinheiro, sendo que pra chegar nela o player VAI TER QUE USAR UM DECK EM QUE ELE INVESTIU DINHEIRO. É uma incoerência que eu não entendo, e por isso eu apoio torneios separados.

Agora anon das 5 e tantas, que tal descer do salto e respeitar um pouco a opinião dos outros? Sua palavra não é a verdade absoluta.

Anônimo disse...

17:53.
Hora alguma foi dito que a minha OPINIÃO é verdade absoluta, uma dedução bem pobre sua. Inclusive, ela foi bem desrespeitada anteriormente e esta é a minha resposta. Em caso de problemas com ela, apresente a sua, xingue no Twitter, conte tudo pra minha mãe, voodo doll pra mim, sei lá.

Porthos disse...

Primeiro, eu acho muito engraçado todo mundo xingando o Anon das 17h por ele ter expressado a opinião dele de forma agressiva. Isso é tipo você reclamar que te deram um peteleco e querer esfaquear o nego.

Segundo que eu sou completamente a favor do Draft. Primeiro, é que realmente não há necessidade de se utilizar de muito dinheiro para chegar nele; muitos decks inusitados chegam ao Top 16, mas começam a perder a partir de aí por causa da sequência de BDIF... Veja, um bom Side pode counterizar um mesmo deck varias vezes no swiss, mas ele sempre falha, por isso anti-meta variants tem tendência de bons resultados no swiss mas ruins em mata-mata.

Outra coisa a se dizer: Os boosters são MUITO equilibrados, por isso a escolha do Battle Pack por exemplo, não do LVAL. Eles determinam diferentes tipos de cartas em um mesmo booster, seguindo um padrão para todos.

Quanto a evidência do jogador, isso é algo obvio; você não poderá mais dizer que X deck venceu o YCS, porque todos são iguais. Então para dizer o que levou o YCS, se é obrigado a dizer o nome do jogador.
Isso obviamente é ruim para nós, que não participamos do torneio, pois perdemos uma série de coisas, mas excelente para quem participa do torneio. Que é quem é importante para a Konami.

Finalizando, a skill do jogador em Draft não se baseia na montagem dos decks - qualquer um com um pouco de estudo faz um deck equilibrado lá - mas sim no in-game (afinal, será 8 mirror matches) e na leitura de jogo, já que você pode ler muito mais precisamente as cartas do oponente; não somente por saber as cartas que existem no booster, mas por saber quais foram tiradas.

Ou seja, na minha opinião é algo bem saudável ao jogador de YCS, que agora tem a chance de ter seu nome, não seu deck, conhecidos pela comunidade.

Anônimo disse...

Sua opinião foi desrespeitada anteriormente? Aonde? E você foi arrogante e prepotente sim. Mandou quem discorda da sua opinião pra PQP, falou que era imbecilidade e chamou de chorões. Seja homem e pelo menos admita seus erros.

BuBa disse...

Porthos: concordo 100% com você quanto ao reconhecimento do Player. Nunca participei de um torneio, mas imagino que deve ser muito frustrante você se esforçar horrores pra ganhar um YCS pra depois constatar que ninguém sequer sabe o seu nome e que seu deck está levando todo o crédito pela vitória. Nesse aspecto, o Draft Play é realmente muito bom. O que me deixa com o pé atrás é mesmo a questão da habilidade. Sem dúvida alguma ela está presente nesse tipo de duelo, mas ainda assim acho que ela fica um tanto empobrecida por causa da simplicidade dos decks e pelo fator sorte que, na minha opinião, fica preponderante. Afinal, ainda que você monte bem seu deck, não tem milagre que te ajude se as pulls do oponente forem muito desproporcionais às suas.

BuBa disse...

Completando o comentário anterior: acho que é uma faca de dois gumes. Alguns players irão amar com bons motivos) e outros não irão curtir (também com bons motivos). Por isso, acho que o sensato seria fazer dois eventos separados. Assim todo mundo ficaria satisfeito.

Anônimo disse...

A ideia de dois eventos separados é a mais coerente, ao meu ver.

Kartoon disse...

Os cara sabiam do draft, ou foi surpresa?

Anônimo disse...

Falei primeiro e falo de novo. Quam gasta uma fortuna em deck te que se FUDER!!!

Dr.VoM disse...

Esse Draft seria legal se fosse separado, voce montava um deck com boosters e se chegasse top 16 ganharia mais boosters e melhoraria pra continuar... Mas desse jeito nao é legal, pelo simples motivo de se voce tiver sorte irá pegar cartas boas, se nao...

Porthos disse...

LOL pessoal, é só ver os decks do Top 16, são todos praticamente iguais, para vocês verem que não há sorte na montagem da build...

A sorte só está na mão, mas isso é como qualquer outro decks... BTW, a skill aumenta sim, não sei se vocês já tentaram, mas draft com 16 pessoas é MUITO tenso.

Anônimo disse...

Não é verdade Porthos, vi decks com 2 Gracefull Charitys, outros com nenhuma, com beaters mais ou menos fortes e tudo mais. Isso goste ou não acaba fazendo a diferença na hora do duelo.

Anônimo disse...

Anônimo das 21:15, já parou pra pensar que se não fossem essas pessoas que gastam dinheiro seu querido jogo poderia já teria ido à falência? E pra sua informação, quem gastou dinheiro com deck não se fudeu com o draft, o vencedor do campeonato foi um cara que estava jogando com um Fire Fist bem carinho. Pense duas vezes antes de falar.

Carlos Alberto Alberto disse...

O melhor mesmo é fazer dois eventos separados tbm concordo com isso.

Anônimo disse...

é contraditório, pq bem ou mal, quem chega no top 16 , são os jogadores que usam os melhores decks, os mais caros, etc... ficou esquisito

Anônimo disse...

E além de tudo os duelos de draft são feios pra caramba... muito sem graça

Yu-Gi-Hoje!
Design por: Felipe Leonel - Tecnologia do Blogger
Copyright © 2015
Todos os direitos reservados
imagem-logo