domingo, 19 de outubro de 2014

Yu-Gi-Oh! através dos tempos: 2004, a Era Chaos


Retrospectiva do ano de 2004!

E ai galera, beleza? Para a alegria de alguns, estou novamente aqui para dar continuidade a série que tem como objetivo falar sobre como foram torneios mundiais que ocorreram no passado, porém, eu quero ampliar um pouco mais esse conteúdo, expandir para contar mais fatos relevantes e irrelevantes durante tal ano e creio que isso será muito legal, não é? Então vamos lá...

Sobre mim em 2004...

É bom relembrar coisas boas do passado, concordam? Bom, falando sobre minha pessoa, naquele ano de 2004, lembro que a minha relação com Yu-Gi-Oh! não era tão maior do que tive em 2003, eu continuava a assistir o Anime e também gostava de colecionar as cartas que eu comprava na doceria perto de casa. 

Mini Cards Alias, sempre fui aficionado por coleções de diversos tipos de coisas, não chegava a levar o jogo tão a sério, até porque, a maioria das pessoas que conheci não jogavam, preferiam ficar batendo as cartas na escola e isso não era uma coisa que me atraia (quando jogavam, só sabiam roubar e inventar coisas absurdas, não que eu esteja sendo hipócrita, pois eu as vezes também fazia isso, principalmente contra meu irmão, apenas as vezes), eu particularmente apreciava ter muitas cartas, porém, queria ter uma de cada, assim, as que considerava "repetidas", trocava com amigos, como se fosse figurinhas, lembro que cheguei a juntar mais de 600 cartas diferentes (que guardo até hoje), mal eu sabia que para jogar seria muito importante ter três de algumas cartas.

É até injusto a forma como eu consegui juntar tantas cartas sem ao menos gastar 1 centavo vindo do meu bolso ou dos meus pais, pra ser sincero, como minha avó era (e é até hoje) professora de Ensino Fundamental P1, ela tomava as cartas dos alunos que ficavam brincando em plena aula, e por direito, eles podiam reivindicar as cartas de volta após o termino da aula ou em reunião com os pais, porém, muitas vezes os alunos deixam as cartas de lado ou até mesmo as mães deles pediam para que minha vó jogasse as cartas no lixo ou doasse para outra pessoa e tal, mas como ela sabia que eu curtia bastante essas paradas, guardava as cartas para os finais de semana que eu e meu irmão íamos visitá-la, então eu recolhia um amontoado de cartas e levava pra casa para continuar minha coleção. Eu cheguei a completar coleções de muitas coisas dessa forma, principalmente aqueles tazos e cards da Elma Chips (Pepsico), do Pokémon, Digimon e etc.  Quando conto essa história as pessoas ficam meio revoltadas comigo, mas enfim, eu concordo que sala de aula não é lugar para se jogar essas coisas, então sugiro a todos que não façam isso.  

Game Yu-Gi-Oh! Forbidden Memories
Recordo também, que foi nesse ano que comecei a jogar pela primeira vez o Yu-Gi-Oh! Forbidden Memories no Playstation One, um excelente jogo da franquia na época. Pra falar a verdade, não tenho certeza se foi nesse ano que comprei ou em 2003, mas foi mais ou menos nesse período. Só sei que eu gostava de jogar ao lado de minha mãe (WTF?!) e meu irmão. Sim, minha mãe jogava comigo porque achava a ideia matemática do jogo legal e era uma forma dela passar o tempo conosco após o período de trabalho. A jogabilidade simples e lenta facilitava as coisas, né? É quase uma blasfêmia dizer que gosta de Yu-Gi-Oh! e nunca ter jogado o Forbidden Memories, mesmo que seja a muitos anos atrás, foi até bom relembrá-lo nessa postagem, pois não passaremos por 2002, ano de lançamento do jogo aqui no ocidente. Ok, acho que sobre mim isso é o suficiente, creio até que ninguém nem liga, então vamos falar sobre coisas que realmente interessam... As coleções, cartas e afins!


O que tinha de novidades na época?

Booster Invasion of ChaosO ano de 2004 foi um ano que fez uma modificação considerável ao jogo, o que é normal acontecer com a inclusão de produtos novos no mercado, mas podemos dizer que esse ano foi muito sombrio e complicado, a Era Chaos surge com monstros segmentados a promover o poder dos atributos LIGHT e DARK.

Foi no dia 1º de Março que ocorreu o lançamento da coleção Invasion of Chaos no TCG, que nada mais era do que uma combinação das coleções japonesas Controller of Chaos e Invader of Darkness lançadas no ano de 2003. 

No Invasion of Chaos tivemos a introdução de cartas famosas como Black Luster Soldier - Envoy of the Beginning, Chaos Emperor Dragon - Envoy of the End, Dark Magician of Chaos, Chaos Sorcerer, Compulsory Evacuation Device, Dimension Fusion, Primal Seed, Manticore of Darkness entre outras cartas, só de ler esses nomes, já é possível imaginar o nível do retrospecto que essas cartas trouxeram ao cenário competitivo que permitia até três cópias de cada uma, foras as outras cartas fora de série como Pot of Greed, Raigeki, Harpie's Feather Duster e trocentas outras cartas que se encontram banidas hoje em dia.   

Booster Limited Edition da Weekly Shonen JumpLá no outro lado do mundo, no Japão (OCG), no mesmo mês de Março, exatamente no dia 09, a revista Weekly Shonen Jump distribui sua sexta edição limitada de cartas promocionais, que introduziu os três monstros Gadget ao Card Game... Green, Yellow e Red, assim como também The Tricky e The Tricky Spell 4, que foram as novidades que os jogadores nipônicos acabavam de receber, o que talvez não fosse tão relevante para os cenários competitivos que existiam, mas uma boa informação para os atuais jogadores da temática que talvez não tenham conhecimento sobre o surgimento de tais cartas.

Voltando ao Invasion of Chaos, o impacto das novas cartas que a coleção trouxe foi tão grande que no mês seguinte, em 1º de Abril de 2004, Black Luster Soldier - Envoy of the Beginning, Chaos Emperor Dragon - Envoy of the End e Manticore of Darkness foram parar na famosa lista de Banidas e Limitadas (Banlist), na qual os dois primeiros foram limitados e o último semi. Isso foi um movimento da Konami visando parar certos combos que tornavam o jogo insuportável e "não jogável".

Alguns dias seguintes após a lista, 7 de Abril, Konami lança o seu segundo jogo voltado exclusivamente para a plataforma PC, Yu-Gi-Oh! Power of Chaos: Kaiba the Revenge, que também era o segundo dos três Power of Chaos.

Kaiba the Revenge trabalhava em conjunto com o jogo anterior da série, Power of Chaos: Yugi the Destiny (que foi lançado dia 12 de Janeiro de 2004, com 155 carta, basicamente um jogo Tutorial ensinando como jogar Yu-Gi-Oh!) ou como um jogo autônomo. O jogo apresentava 466 cartas diferentes e o objetivo era evoluir suas estratégias para derrotar o principal rival de Yugi e dono da Kaiba Corporation, Seto Kaiba! O jogo do Kaiba incluía três cartas promocionais, sendo elas o famoso Blue-Eyes White Dragon e duas cartas exclusivamente novas no TCG, Seal of the Ancients e Aqua Chorus. Yugi the Destiny incluía os clássicos Kuriboh e Dark Magician, as novidades TCG eram Anti-Spell Fragrance, Thousand Knives e Windstorm of Etaqua.

Game Yu-Gi-Oh! Power of Chaos: Yugi the DestinyGame Yu-Gi-Oh! Power of Chaos: Kaiba the Revenge


Booster Soul of the Duelist
Partindo para o mês de Maio, lá no Japão é lançada a coleção Soul of the Duelist, o primeiro Booster Pack da Serie 4 OCG. Em Outubro de 2004, pela convergência de lançamentos, esse foi o primeiro Booster TCG a seguir coerentemente o formato Japonês, assim como também foi a primeira coleção TCG que não continha nenhum tipo de carta Secret Rare.


Bom, Soul of the Duelist introduziu os monstros "LV" ao jogo, abrangendo as séries Horus, Armed Dragon, Mystic Swordman e Dark Mimic. Mobius the Frost Monarch, Ojama King, Mind Crush, além de muitas outras cartas também faziam parte do conjunto disponível nesse set.

Booster Ancient Sanctuary
Em Junho foi a vez de Ancient Sanctuary chegar ao TCG, uma coleção que era a combinação dos sets japoneses The Santuary in the Sky e Pharaoh's Inheritance.


O foco principal de Ancient Sanctuary era os monstros do Tipo Fairy, o primeiro passo dado pelos "The Agent" que possuíam efeitos poderosos para se usar com The Sanctuary in the Sky, a carta que teoricamente nomeia a coleção. O temido e lendário Mokey Mokey estreio exatamente nessa coleção, então claramente vemos o grau de importância que ela teve no processo do Card Game até os dias de hoje, brincadeiras a parte, Ancient Sanctuary não foi uma coleção que gerou um impacto no momento, não da mesma forma que Invasion of Chaos teve, logo abaixo vocês irão entender o que estou dizendo.

Yu-Gi-Oh! Power of Chaos: Joey the Passion
Em Julho tivemos o lançamento do Game Yu-Gi-Oh! Power of Chaos: Joey the Passion, que seria o terceiro e último jogo da série Power of Chaos, provavelmente o mais divertido, com muito mais recursos e conteúdo.


O jogo possuía Joey Wheeler como oponente, além de ter ao todo 771 cartas para serem usadas em novas opções de duelos, plataformas e oponentes. Se você possuísse os dois jogos anteriores das séries instalados, você podia acrescentar as cartas anteriores em Joey the Passion, chegando a ultrapassar mais de 1000 cartas. Com novas características, o jogo incluía uma classificação de nível de dificuldade, que ia de 1 a 9 estrelas. Se você ganhasse os duelos, a dificuldade aumentava, sendo assim, seu oponente trocava por um deck mais potente cada vez que isso acontecia. Perder os duelos resultava em uma consequência oposta, o jogador perdia os ranks conquistados consecutivamente, o objetivo era estar sempre em alto nível. Para equilibrar, a lista de cartas Limitas e Banidas serviu como uma boa opção para os jogadores, o que era uma novidade para a série Power of Chaos. Por último, a Konami permitiu que o jogo abrisse espaço para que amigos pudessem jogar um contra o outro via LAN ou Gameranger, o que agradou bastante fãs de Yu-Gi-Oh!. O jogo teve como cartas promocionais o clássico Red-Eyes B. Dragon a novas cartas TCG Sebek's Blessing e Sword of Dragon's Soul.


Yu-Gi-Oh! World Championship 2004

Foi em um Domingo, dia 25 de Julho de 2004, em pleno Centro de Convenções de Anaheim em Los Angeles, por cortesia da Upper Deck, que jogadores de diversas partes do mundo se reunirão novamente e embaralharam seus decks na frente de milhares de fãs e duelaram para o receber o titulo de Yu-Gi-Oh! King of Games (Rei dos Jogos), Foram ao todo, 25 países disputando, na qual tínhamos jogadores campeões Nacionais envolvidos

Yu-Gi-Oh! World Championship Tournament 2004
Bom, assim como no Mundial ocorrido em 2003, o evento de 2004 também contou a disputa de jogadores de Yu-Gi-Oh! que preferiam resolver as coisas no Videogame! Naquele tempo, era uma febre enorme os jogos para a plataforma Nintendo Game Boy Advance (o famoso GBA), e a Konami tinha lançado no ocidente, em Fevereiro daquele ano, o jogo chamado Yu-Gi-Oh! World Championship Tournament 2004. Em três meses anteriores a Julho, a Konami chegou a sediar torneios no Estados Unidos, Europa e Japão, visando encontrar os melhores jogadores de videogame. Aqueles que se classificavam em seus regionais, avançavam para competir finais em seus próprios países para conseguir uma vaga no Campeonato Mundial que iria acontecer em Anaheim, algo totalmente parecido com que o acontecia no Card Game. Konami cada vez mais tentava explorar esse novo tipo de experiencia ampliando mais ainda a marca Yu-Gi-Oh!.

Então dentro do evento, tivemos duas grandiosas competições a parte, uma voltada ao Videogame e a outra ao Card Game. No Card Game, tivemos a vitória de Masatoshi Togawa do Japão com seu deck Chaos Restrict (ou Chaos Control), ele venceu Chan Wan Hang de Hong Kong na final, na qual também usava um deck Chaos Restrict, que dominou o torneio, o que demonstra que o Metagame esta presente no Yu-Gi-Oh! desde seus primórdios.

O deck usado por Masatoshi Togawa era exatamente assim:

Main DeckExtra Deck
Monstros [17]:
[1] Black Luster Soldier - Envoy of the Beginning
[1] Break the Magical Warrior
[1] Chaos Emperor Dragon - Envoy of the End
[3] D.D. Warrior Lady
[1] Jinzo
[2] Kycoo the Ghost Destroyer
[1] Magical Scientist
[2] Magician of Faith
[1] Sangan
[1] Shining Angel
[1] Sinister Serpent
[1] Tribe-Infecting Virus
[1] Witch of the Black Forest

Mágicas [17]:
[1] Confiscation
[1] Creature Swap
[1] Dark Hole
[1] Heavy Storm
[1] Mirage of Nightmare
[1] Monster Reborn
[3] Mystical Space Typhoon
[1] Nobleman of Crossout
[1] Pot of Greed
[1] Premature Burial
[2] Scapegoat
[1] Smashing Ground
[1] Snatch Steal
[1] The Forceful Sentry

Armadilhas [6]:
[2] Call of the Haunted
[1] Mirror Force
[1] Ring of Destruction
[2] Torrential Tribute

Cartas: 40
Fusion Deck [23]:
[3] Dark Balter the Terrible
[1] Darkflare Dragon
[1] Fiend Skull Dragon
[1] Flame Ghost
[1] Giltia the D. Knight
[2] Musician King
[3] Punished Eagle
[2] Reaper on the Nightmare
[3] Roaring Ocean Snake
[3] Ryu Senshi
[3] Thousand-Eyes Restrict

Side Deck [15]:
[1] Airknight Parshath
[1] Berserk Gorilla
[1] Don Zaloog
[1] Mystic Tomato
[1] Spirit Reaper
[3] Book of Moon
[1] Creature Swap
[1] Nobleman of Crossout
[1] Magic Cylinder
[2] Royal Decree
[1] Time Seal
[1] Waboku





E os deck de Chan Wan Hang era:

Main DeckExtra Deck
Monstros [17]:
[1] Berserk Gorilla
[1] Black Luster Soldier - Envoy of the Beginning
[1] Break the Magical Warrior
[1] Chaos Emperor Dragon - Envoy of the End
[3] D.D. Warrior Lady
[1] Don Zaloog
[1] Exiled Force
[1] Jinzo
[1] Magical Scientist
[1] Magician of Faith
[1] Reflect Bounder
[1] Sangan
[1] Sinister Serpent
[1] Tribe-Infecting Virus
[1] Witch of the Black Forest

Mágicas [18]:
[1] Confiscation
[1] Creature Swap
[1] Dark Hole
[1] Graceful Charity
[1] Heavy Storm
[1] Mirage of Nightmare
[1] Monster Reborn
[3] Mystical Space Typhoon
[1] Nobleman of Crossout
[1] Pot of Greed
[1] Premature Burial
[1] Reinforcement of the Army
[1] Scapegoat
[1] Snatch Steal
[1] Swords of Revealing Light
[1] The Forceful Sentry

Armadilhas [6]:
[1] Call of the Haunted
[1] Mirror Force
[1] Ring of Destruction
[1] Raigeki Break
[2] Torrential Tribute

Cartas: 41
Fusion Deck [32]:
[1] B. Skull Dragon
[3] Dark Balter the Terrible
[1] Dark Flare Knight
[1] Darkfire Dragon
[1] Dragoness the Wicked Knight
[1] Fiend Skull Dragon
[2] Flame Swordman
[1] Giltia the D. Knight
[3] Musician King
[2] Paladin of White Dragon
[3] Reaper on the Nightmare
[2] Ryu Senshi
[2] Thousand-Eyes Restrict
[2] XY-Dragon Cannon
[2] XYZ-Dragon Cannon
[1] XZ-Tank Cannon
[1] YZ- Tank Dragon

Side Deck [15]:
[1] Berserk Gorilla
[1] Dark Magician Girl
[1] Kycoo the Ghost Destroyer
[1] Magician of Faith
[1] Tsukuyomi
[1] Book of Moon
[1] Creature Swap
[1] Nobleman of Crossout
[1] Scapegoat
[1] Barrel Behind the Door
[2] Dust Tornado
[1] Magic Cylinder
[1] Skill Drain
[1] Torrential Tribute






Bom galera, esses decks estão praticamente banidos hoje em dia, não é verdade? Quem quiser conferir o restante das Deck Lists do Top 32, basta clicar aqui, vocês vão perceber que o Meta daquela época era o famoso Chaos Restrict, na qual foi opção da maioria dos jogadores que participaram desse torneio. É até fácil dizer que a temática Chaos dominou o ano de 2004, por isso chamo de "Era Chaos".  Por curiosidade, o Extra Deck não era conhecido como Extra Deck e sim Fusion Deck, e praticamente não existia um limite de cartas, portanto as pessoas podiam incluir a quantidade de cartas Fusões que quisessem. A Banlist usada no Torneio foi aquela de Abril, que limitou o Chaos Emperor Dragon e Black Luster Soldier, se quiser conferir, clique aqui.  

Em adição a fama e a honra de ser o Campeão Mundial de Yu-Gi-Oh!, Masatoshi ganhou um bom número de prêmios, que incluiam 5 boxes de Yu-Gi-Oh!, o jogo de GBA Yu-Gi-Oh! Reshef of Destruction, que ainda iria lançar no dia 29 de Julho, deck boxes e cards sleeves e até mesmo exclusivos Movie Packs (que seriam boosters exclusivos do filme Yu-Gi-Oh! The Movie: Pyramid of Light). Masatoshi levou para casa uma das duas cópias da carta chamada Ulevo, carta promocional feita exclusivamente para esse World Championship.

O segundo, terceiro e quarto lugares ganharam uma cópia de Meteo the Matchless, fora outros prêmios também. Todos eles receberam essas cartas vedadas em uma proteção de acrílico. Hoje em dia, tanto Meteo e Ulevo são uma das cartas mais raras da história do Yu-Gi-Oh!, só foram feitas seis cópias de Meteo e duas de Ulevo.  


Troféu 3º Lugar - World Championship 2004
Troféu do Terceiro Lugar

Ai vocês me perguntam, se são duas cópias de Ulevo e o Masatoshi só ganhou uma, onde foi parar a outra? Lembram do torneio Mundial de Videogame? Ai esta a resposta! Ryon Peyton, representante dos Estados Unidos, com apenas 13 anos de idade, levou o titulo de Yu-Gi-Oh! World Video Game Champion, garantindo a segunda cópia do Ulevo, entre outros prêmios. O restante do Top 4 recebeu Meteo the Matchness, claro.

De acordo com as informações, foram mais de 10 mil pessoas participar do evento, na qual, podiam tanto assistir as partidas dos jogadores talentosos competindo, como também era possível aprender, conhecer e explorar jogos de Videogames, brinquedos, cartas e até mesmo participar de uma Sneak Peek do novo filme que iria sair em Agosto daquele ano.

Agora confiram o vídeo produzido pela própria Konami sobre o Mundial:



Quais foram as outras novidades que rolaram após o torneio?  


Game Yu-Gi-Oh! Capsule Monster ColiseumApós o encerramento do torneio, temos o lançamento oficial de dois novos jogos no dia 29 de Julho. O primeiro foi Yu-Gi-Oh! Capsule Monster Coliseum, o segundo da franquia Yu-Gi-Oh! a lançar para a plataforma PlayStation 2 lá no Japão. Bom, eu não cheguei a jogar, mas muita gente que eu conheço diz que é uma bosta, é verdade isso? É praticamente como se fosse um jogo de tabuleiro, não necessariamente o Card Game em si, deve ser por isso que muita gente critica o jogo negativamente. O Game incluiu três cartas promocionais totalmente novas no TCG, Abyss Soldier, Inferno Hammer e Teva.


Game Yu-Gi-Oh! Reshef of Destruction
O segundo jogo foi o já citado Yu-Gi-Oh! Reshef of Destruction, um dos prêmios ganhados por Masatoshi no Campeonato Mundial, Bom, ele só teve a felicidade de ganhar o jogo alguns dias antes do lançamento do jogo em versão Americana e Australiana, porque lá no Japão o jogo já tinha lançado no ano de 2003, e Masatoshi é japonês, sabe? Portanto creio que não fosse grande coisa para ele, mas estou apenas supondo. As cartas exclusivas eram Dark Magician Knight, Knight's Title e Sage's Stone, três cartas usadas por Yugi no Anime.

Booster Rise of Destiny
Em Agosto, dia 5, Konami lança no OCG a coleção Rise of Destiny, o segundo booster pack da Série 4. A versão TCG desse Booster lançou dia 20 de Novembro de 2004. Existem algumas peculiaridade sobre essa coleção. Primeiramente, é o primeiro set a ter um evento Sneak Preview (aqueles eventos de pré-estréia, Sneak Peek), porém, não omitiu nenhuma carta exclusiva de participação. E a segunda peculiaridade esta no fato de ser a última coleção mainstream a ter Yami Yugi na capa, até porque a série Yu-Gi-Oh! Duel Monster estava pra acabar no mês de Setembro e até já se falava de uma nova franquia para substituir o grandioso Yugi e seus amigos (Yu-Gi-Oh! GX).


Sendo sincero, achei as cartas dessa coleção meio bosta, tirando Divine Wrath, Machine Duplication, Monster Reincarnation, e a inclusão de algumas cartas "Harpie", dentre elas a Field Spell Harpie's Hunting Ground, uma carta importante para o primeiro campeão do YCS Brasileiro, né?

Poster do filme: Yu-Gi-Oh! The Movie: Pyramid of Light
Acho que pra mim, nada disso era evidente, até porque eu era bastante jovem, praticamente um pré-adolescente, com 11 a 12 anos de idade, não ligava tanto pra Yu-Gi-Oh! Trading Card Game, era mais afim do Anime e tal, uma coisa bastante comum. Eu lembro que cheguei a ver o comercial do filme "Yu-Gi-Oh! O Filme: Pirâmide de Luz" na TV e pirei, tinha vontade de ir assistir , pois eu curtia muito Yu-Gi-Oh!, não perdia os episódios que passavam na TV Globinho e tal. Quem ai se lembra do comercial do filme?


Bom, o filme lançou nos Estados Unidos no dias 13 de Agosto de 2004, não chegou a ser exibido no Japão, apenas no ano seguinte.  Se não me engano, o filme estreou no Brasil pouco tempo depois do lançamento americano, em Setembro, com a dublagem original (o mito Marcelo Campos) e tudo mais, consegui ver o filme no cinema e achei irado pra cacete na época. Pra mim, defino hoje o Pyramid of Light como mais uma rixa entre Yugi e Kaiba, com a inclusão de um terceiro elemento, o Anúbis. Para quem não assistiu, acho que é interessante dar uma conferida, mas apenas caso você seja um fãs da série animada Yu-Gi-Oh! Duel Monsters, pois entenderá melhor os acontecimentos.

Aqui está o Trailer em inglês (infelizmente eu não consegui achar a versão dublada que passava na TV):


Essa dublagem americana do Yugi é escrota pra cacete!

No dia 21 de Agosto, a revista V Jump lançou uma edição que continha a carta promocional do Sorcerer of Dark Magic em homenagem ao filme. No dia 25, The Valuable Book 7 também cai na onda e trouxe mais duas cartas promocionais, Blue-Eyes Shining Dragon e Pyramid of Light.    

Dia 25 de Agosto, podemos marcar como uma data importantíssima para o Yu-Gi-Oh! TCG, foi exatamente nesse dia que a Lista de cartas Banidas e Restritas entra com um novo vigor, banindo pela primeira vez algumas cartas do jogo. Antes disso, nunca antes uma carta tinha sido proibida de ser usar no formato Advanced do TCG. Essa Banlist não perdoou, mandou Chaos Emperor Dragon - Evnoy of the End, Dark Hole, Delinquent Duo, Graceful Charity, Harpie's Feather Duster, Imperial Order, Mirror Force, Monster Reborn, Raigeki, Sangan, United We Stand, Witch of the Black Forest e Yata-Garasu pra vala, o que foi um belo passo para a evolução do jogo. Nesse tempo, as pessoas já estavam cientes do lockdown formado por Yata-Garasu e Chaos Emperor Dragon, antes que me perguntem, era um pesadelo ... 

No dia 1 de Setembro entra em vigor a Banlist OCG, que chegou a fazer umas modificações radicais também, confiram clicando aqui. E sim, nessa época as Banlists também eram induviais, até mesmo porque a organização das coleções era uma coisa de doido que foi se ajeitando com o tempo.

O mês de Setembro se caracteriza como sendo a despedida de Yu-Gi-Oh! Duel Monsters. Foi no dia 29 de Setembro que o último episódio da franquia foi ao ar no Japão, um dia muito triste para todos os fãs de Yugi e sua turma.

Adeus Faraó Atem!


No dia 1 de Outubro, como foi dito lá em cima, é a chegada da coleção Soul of the Duelist no TCG, a que incluiu os monstros "LV". Até ai nenhuma grande novidade no set.

Yu-Gi-Oh! GX
Não demorou nada para que Yu-Gi-Oh! ressurgisse... No dia 6 de Outubro é exibido pela primeira vez na TV Tokyo uma nova série spin-off da franquia, intitulada de Yu-Gi-Oh! GX, que também foi criação de Kazuki Takahashi e com direção de Hatsuki Tsuji. 

Nessa série a história se passa 10 anos depois de Yu-Gi-Oh! Duel Monsters, agora, acompanhamos a vida de Jaden Yuki (ou Judai Yuki na versão original japonesa), um jovem duelista talentoso que ganha a carta Winged Kuriboh de nada mais, nada menos que Yugi Mutou (já adulto), então ele entra para uma Academia de Duelos, um colégio interno com o sonho de se tornar uma grande duelista. Por receber notas baixas no seu teste de admissão, é colocado no dormitório Slifer Red, lugar reservado para os duelistas com piores notas da academia. Jaden faz vários amigos e rivais e assume muitos desafios em sua busca para se tornar o próximo Rei dos Jogos.


Booster Dark Beginning I12 de Outubro, em pleno Dia das Crianças, é lançado a coleção Dark Beginning I, o primeiro set TCG voltado a reprints, assim como também era o primeiro set a ter Yuto Mutou na capa, antes todos os outros sets tinham Yami Yugi. Foram listadas 250 cartas nessa coleção, sendo: 

- Cartas do 1 ao 66 eram da Spell Ruler.
- Cartas do 67 ao 95 e 171 ao 203 eram da Pharaoh's Servant.
- Cartas do 98 ao 139 eram da Legend of Blue Eyes White Dragon.
- Cartas do 140 ao 168 eram da Metal Raiders.
- Cartas do 204 ao 250 eram da Labyrinth of Nightmare.
- Cartas do 96 ao 170 eram cartas promocionais dos videogames.
- "Big Shield Gardna" era do Tournament Pack 5.
- "Makyura the Destructor" era uma carta unica deste set.

A coleção era designada para iniciantes e continha até mesmo as 5 peças do Exodia.


Booster Flaming Eternity
Entrando em Novembro, no dia 25 tivemos o lançamento da coleção Flaming Eternity, o terceiro Booster Pack da Serie 4 OCG. De acordo com as fontes, essa foi a primeira coleção a ter suas boxes escolhidas e embrulhadas com o logo da Konami. Cartas como Sacred Phoenix of Nephthys, Rescue Cat, Phoenix Wing Wind Blast, Deck Devastation Virus, Threatening Roar, Lightning Vortex, entre outras, foram introduzidas no Card Game nessa coleção. 

Podemos dizer que Flaming Eternity foi o primeiro set a estrear após o inicio de Yu-Gi-Oh! GX, porém, a coleção não teve uma grande inspiração na nova série, mas é perceptível de que a Konami já estava dando brecha para a nova temática Fusion.

Um dia depois, 26 de Novembro, temos o lançamento da versão americana de Yu-Gi-Oh! Capsule Monster Coliseum


John Umali com seus prêmiosO mês de Dezembro foi muito importante na história do cenário competitivo do Yu-Gi-Oh!, foi no dia 4, novamente no Centro de Convenções de Anaheim, que ocorreu o primeiro Shonen Jump Yu-Gi-Oh! TCG Championship Tournament Series. Um total de 309 jogadores competiram em 9 rodadas que duraram o dia inteiro. Muitos jogadores locais ou que tinham viajado de lugares distantes estavam naquele torneio inaugural e experimental para serem os melhores. Todos estavam de olho no pacote de premios que era monstruosamente atraente, com a primeira versão inglês do Cyber-Stein. No final John Umali foi campeão, levando pra casa o troféu de campeão, um laptop, Cyber-Stein, entre outros prêmios, além do titulo de primeiro vencedor do torneio que um dia iria dar lugar ao que conhecemos hoje como Yu-Gi-Oh! Championship Series (YCS).

O deck usado por John Umali foi: 

Main DeckExtra Deck
Monstros [17]:
[1] Airknight Parshath
[1] Berserk Gorilla
[1] Black Luster Soldier - Envoy of the Beginning
[1] Blade Knight
[1] Breaker the Magical Warrior
[2] D.D. Warrior Lady
[1] Dark Magician of Chaos
[1] Fiber Jar
[1] Jinzo
[1] Kycoo the Ghost Destroyer
[1] Magical Scientist
[2] Magician of Faith
[1] Reflect Bounder
[1] Sinister Serpent
[1] Tribe-Infecting Virus 

Mágicas [18]:
[1] Book of Moon
[1] Change of Heart
[1] Confiscation
[1] Creature Swap
[1] Emergency Provisions
[1] Heavy Storm
[1] Metamorphosis
[1] Mirage of Nightmare
[1] Mystical Space Typhoon
[1] Nobleman of Crossout
[1] Pot of Greed
[1] Premature Burial
[2] Scapegoat
[1] Snatch Steal
[1] Swords of Revealing Light
[1] The Forceful Sentry

Armadilhas [5]:
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Call of the Haunted
[1] Raigeki Break
[1] Ring of Destruction
[1] Torrential Tribute

Cartas: 40
Fusion Deck [32]:
[3] Dark Balter the Terrible
[3] Dark Blade the Dragon Knight
[3] Dark Flare Knight
[1] Darkfire Dragon
[1] Dragoness the Wicked Knight
[1] Fiend Skull Dragon
[1] Giltia the D. Knight
[1] Musician King
[1] Ojama King
[2] Reaper on the Nightmare
[3] Ryu Senshi
[1] St. Joan
[2] Thousand-Eyes Restrict

Side Deck [14]:
[1] Exiled Force
[1] Mask of Darkness
[1] Mobius the Frost Monarch
[2] Mystic Swordman LV2
[1] Book of Moon
[1] Nobleman of Crossout
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Ceasefire
[2] Dust Tornado
[1] Hallowed Life Barrier
[1] Magical Cylinder
[1] Magic Drain






Bom, dá pra notar que a Banlist de Agosto levou algumas coisas, mas o deck do cara continua tendo cartas bastante absurdas, tirando o fato de não ter a possibilidade de se fazer um Yata-Garasu Lock, a base Chaos ainda era a coisa mais consistente da época, sendo usado por quase 90% dos jogadores competitivos. Bom, ainda tem gente que reclama das coisas que acontecem hoje em dia.

Galera, acho que não tenho muito mais o que dizer nessa postagem, eu passei por praticamente tudo que foi relevante nesse ano, acredito que muitas coisas vocês nem estavam ligados ou até mesmo nem se lembravam. Gostaram? Agora eu deixo espaço para você comentarem, mandem as ideias de vocês!

Muito obrigado a todos, abraço e até a próxima.
Felipe Leonel (Kaos)
     
Comentários Facebook
9 Comentários

9 comentários:

Pietro disse...

Parabens pelo post. Ficou super bom... Digamos que 2004 aconteceu muitas coisas além de um "simples" YCS.

Tem muita gente que ate hj joga o Joey the Passion.

Felipe Lima disse...

Otimo post muito completo e passa as informacoes naturalmente. Que continue esse otimo trabalho

Caiozzz disse...

2004 eu nem sabia direito jogar yugioh e lia pouco ingles. As vzs nao entendia o que a carta fazia e nem tinha ideia de como era o game competitivo, meu Deck parecia com os Decks do Anime, e sempre giravam em torno de 50~60 cartas, mas era bem legal aquela época. A pesar de muito ruim como jogador e com um deck igualmente ruim, conseguia vencer a todos na grande maioria das vezes que jogava, e quase sempre jogava apostando uma carta, com isso, hoje tenho cerca de 1100 cartas, porém falsas. Só comecei a entender mesmo o game e e montar um Deck competitivo e original no final de 2010. E levei quase 2 anos para montar todo original (Six Samurai estava em alta na época) e até hoje jogo com esse Deck. Parando um pouco de contar a minha (sem graça) historia no mundo do Yugioh, gostaria de deixar aqui a minha satisfação por esse game que tanto gostamos existir. Por favor, só não continuem a destruir o jogo com essas invenções malucas e esses meta decks com loops infernais :-(

Anônimo disse...

Yugihoje, best yugioh blog ever

Anônimo disse...

Muito boa a postagem

(Chaos Warrior)Utopia disse...

minha história com YGO começa em 2007, quando eu vejo pela primeira vez Yu-Gi-Oh GX na TV, vi o duelo do Sartorius com o Hassleberry, oq me levou a um misslead (achava que todas as cartas funcionavam como os Arcana force... such a noob) e entaum comecei a comprar cartas... na banca... como todo mundo (engraçado eh q da primeira vez que eu fui, n tinham cartas na banca... a mulher me deu 3 cartas que ela achou no chão pq alguem derrubou quando abriu o pacote... mais engraçado eh que 3 dias depois eu perdi uma delas e fiquei putaço) um ano depois, eu fui em uma Rihappy e vi que eles estavam vendendo decks de Yu-Gi-Oh!... n deu outra coisa, fiz minha mãe comprar... DOIS! peguei um do Kaiba, na epoca ja era o Evolved, e peguei tbm um Fury From The Deep... eu era foda na escola, tinha um dragão branco das "Cartas Grandes" (ou seja, Originais) o primeiro da escola a ter cartas originais, virei o pica das galaxias... pelo menos enquanto Yu-Gi-OH! era moda, e usando o manual aprendi +/- a jogar, me mudei da minha cidade natal em 2009, entrando em uma longa pausa de YGO, da qual soh retornei em 2012, 3 anos depois, já com XYZ e mais perdido que cego em tiroteio, lembro que entrei no DN e montei o pior deck que já foram vistos por olhos humanos e tomei uma surra de um cara que usou apenas um Abyss Dweeler pra limpar o chão com minha cara... ateh descobrir que krls eram XYZ's eu tentei ateh usar Gravity Bind para para-los (Such A Noob²), ateh que, no mesmo ano, comprei o Starter Deck Xyz Symphony... veash, como eu passei a Amar o Utopia... e ateh curti o estilo de jogo dos XYZ.. hj minha invocação favorita de todo o card game, hj uso deck Utopia, tomo surra de meta mas n ligo, e pensar que YGO evolui tanto daquela epoca ateh aqui, com tantas mecanicas novas, e claro, cartas apelonas (ainda acho que nada que temos hj em dia eh mais apelão que 3 BLS e 3 CED num deck rodando 3 Pot Of Greed e 3 Harpie Feather Dust)

Blogger disse...

If you are searching for the best Bitcoin exchange service, then you should choose YoBit.

Blogger disse...

Do you drink Coke or Pepsi?
ANSWER THE POLL and you could get a prepaid VISA gift card!

Blogger disse...

Earn free satoshis over at Easy Bitcoin Faucet. 11 to 33 satoshis every 10 minutes.

Yu-Gi-Hoje!
Design por: Felipe Leonel - Tecnologia do Blogger
Copyright © 2015
Todos os direitos reservados
imagem-logo